O Brasil verá um crescimento exponencial nas perdas para o mercado ilegal?

Segundo um estudo feito pelo Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP) só em 2019 o Brasil perdeu R$ 291,4 bilhões de reais para o mercado ilegal. O valor é a soma das perdas registradas por 15 setores industriais como vestuário, óculos, celulares, perfumes importados e a estimativa dos impostos que deixaram de ser arrecadados em função dessa ilegalidade. 

Um dado que chama atenção é que esse valor vem subindo muito se compararmos com o crescimento do PIB no Brasil. Em 2019 o PIB brasileiro cresceu 1,1% e as perdas estimadas pelos setores e união cresceu 34% em relação ao ano de 2018, saímos de uma perda para o mercado ilegal estimada em 193 bilhões de reais para 291,4 bilhões de reais no ano de 2019. 

O setor que mais sofre com as perdas em nosso país é o de vestuário, que só no ultimo ano teve perdas estimadas em 58,4 bilhões de reais. De fato as empresas do setor no Brasil precisam ser extremamente eficientes, porque além de todos os desafios à competitividade em nível global que o país oferece ainda precisam lutar contra esse inimigo desleal. 

Além da "frente de batalha", que grandes marcas do setor, precisavam lutar em lojas físicas que vendem produtos falsificados, outra frente mostra um crescimento exponencial nos últimos anos, as loja online, principalmente em redes sociais. Devido ao baixo custo para começar a vender, o potencial e a facilidade de encontrar compradores e fornecedores online esse comércio paralelo se espalhou rapidamente por todo Brasil. 

A NoFake estima que haja mais de 250 mil de lojas online que vendem produtos falsificados do setor de vestuário no Brasil e esse número não para de crescer. A crise que começamos a enfrentar devido ao COVID-19, é sem dúvidas, um combustível para o crescimento da pirataria. Visto que as consequências de uma crise econômica afetam diretamente o mercado ilegal, o aumento do desemprego e da informalidade faz com que as pessoas busquem novas fontes de renda e devido a necessidade de um isolamento social, uma alternativa é a venda de produtos online. Por outro lado, nos cenários de crises econômicas vistos antes, muitos consumidores migram seus comportamentos de compra para a compra de produtos mais baratos, nem sempre originais. Cria-se oferta e demanda um cenário perfeito para o crescimento de qualquer mercado.

Dada essas considerações uma pergunta importante a se fazer é:     

O Brasil está vendo o inicio de uma curva de crescimento exponencial das perdas com o mercado ilegal? Para comparar, trago dois gráficos abaixo, o primeiro é um gráfico que representa um crescimento exponencial e o segundo apresenta o crescimento estimado pelo FNCP das perdas do Brasil para o mercado ilegal nos últimos 5 anos. 

Se você olhar o primeiro gráfico e comparar com o ponto que estávamos em 2019 no último levantamento do FNCP fica claro que estamos vendo o inicio de uma curva crescimento exponencial das perdas do Brasil para o comércio ilegal.

O Brasil está em um ponto de virada dessa curva exponencial, e infelizmente, ela não está apontando pra baixo e não há muitas expectativas que as perdas vão diminuir ao longo dos próximos anos, porque de acordo com tudo que foi visto antes, sempre que o país enfrenta uma crise econômica as perdas aumentam. 

Apesar de parecer que esse jogo está perdido, existem ferramentas que também evoluíram exponencialmente nos últimos anos, pra ser mais exato, segundo a lei de Moore elas dobram suas capacidades a cada 18 meses, que são chamadas as - nem tão - "novas tecnologias" como, database, plataformas, cloud, inteligência artificial, o mais irônico é que essas mesmas tecnologias foram fundamentais para o crescimento que vemos hoje do mercado ilegal, que mesmo sem o poder e visão estratégica de grandes companhias e o governo conseguiu se espalhar por todo o território nacional. 

Para frear essa curva é preciso coordenação entre os setores produtivos, o governo e as iniciativas que promovem novas tecnologias para criar abordagens inovadoras e ágeis olhando para esses problemas de um novo ângulo. A NoFake por exemplo tem um método inovador e escalável para encerrar vendas de produtos falsificados online, com uma rede de usuários espalhados pelo Brasil, conectada através do nosso aplicativo, que denunciam mais de 4 mil lojas por mês, realizamos acordos extrajudiciais para encerrar essas vendas de forma amigável, sem gerar nenhum custo para as marcas - que em nossa opinião são as grandes prejudicadas e não devem pagar para resolver esse problema- e sim receita ao mesmo tempo em que ajudamos a resolver esse problema.